• Leonardo Ritter; Drano Rauteon

Cap. 2.7. Os componentes: Capacitor variável

Atualizado: Abr 1

Mais um artigo da série sobre eletrônica, desta vez sobre o capacitor variável, também chamado de trimmer ou capacitor multivoltas!

Capacitor variável

Imagem 1


Como o nome já diz, é possível variar a capacitância dentro de uma faixa de valores.

Capacitores variáveis estão disponíveis em vários tamanhos: desde modelos realmente grandes e pesados para altas tensões, até modelos minúsculos, em que o ajuste do eixo deve ser feito utilizando uma chave de fenda. Estes capacitores minúsculos são chamados de trimmers e são muito utilizados dentro dos aparelhos para fazer calibrações, isto é, ajustes finos no circuito e que só devem ser alterados por um técnico experiente.

Nos rádios AM e FM, para sintonizar uma emissora de rádio, giramos uma espécie de botão. Este botão está fixo no eixo de um capacitor variável que está presente no circuito sintonizador do rádio!

Veja abaixo, a imagem de alguns trimmers:

Trimmer

Imagem 2 - São minúsculos estes capacitores variáveis!

Imagem 3 - Perceba que a única forma de ajustar a capacitância é utilizando uma chave de fenda

Para poder se alterar a capacitância, se utiliza uma ideia interessante: placas de metal fixas no curso de um eixo, sendo que entre estas placas móveis, outras placas são posicionadas e fixadas na estrutura do componente. Conforme movimentamos as placas fixas no eixo, mudamos o posicionamento delas entre as placas fixas na estrutura e consequentemente alteramos a capacitância.

Assim como nos outros tipos de capacitores, a distância entre as placas deve ser calculada, o material utilizado nas placas deve ser levado em conta no projeto, a quantidade de placas utilizadas e área de cada placa.

Atualmente, ainda se encontram capacitores variáveis mas, cada vez mais a indústria substitui componentes mecânicos por circuitos integrados programados para executar as mesmas funções. Podemos citar um smartphone, que possui rádio integrado, mas não há um capacitor variável para fazer a sintonização: basta você selecionar e emissora que quiser na tela touchscreen!

Para entender melhor as partes e o funcionamento de um capacitor variável, criamos a imagem abaixo:

Desvendando um capacitor variável

Imagem 4 - Diagrama de um capacitor variável


Dependendo da necessidade, um capacitor variável pode ser feito com uma ou mais sessões, todas com as mesmas características. Estas sessões são separadas uma da outra, isto é, não há contato algum entre elas a não ser o eixo. Isto é necessário para quando há dois ou mais circuitos que necessitam de ajuste de capacitância: dependendo dos circuitos em questão, pode ser utilizado apenas um capacitor variável com várias sessões e todas são ajustadas através do mesmo eixo.

O dielétrico destes capacitores variáveis normalmente é ar, cerâmica ou filmes de plástico (que são mais raros). Nos trimmers, em muitos há apenas duas placas de metal móveis e duas placas fixas, sendo que o dielétrico é feito de mica na maioria dos modelos. A capacitância mínima do capacitor variável é, em geral, 10% da capacitância máxima.


Se tratando de trimmers, temos alguns feitos com dielétrico de cerâmica, como por exemplo a série TZ03 da fabricante MuRata. Para identificá-los, basta seguir a tabela abaixo:

Tabela 1 - Trimmers com dielétrico de cerâmica feitos pela MuRata


Existem também trimmers cujo dielétrico é feito de Politetrafluoretileno (PTFE) ou Polipropileno (PP), como é o caso de algumas séries feitas pela fornecedora DAU. Para diferenciar um do outro é simples: os que tiverem as folhas isolantes brancas leitosas são de PTFE, já os que tem as folhas transparentes são feitos de polipropileno. Abaixo as tabelas de identificação de ambas as séries de trimmers da DAU:

Tabela 2 - Trimmers com dielétrico feito em PTFE feitos pela DAU

Tabela 3 - Trimmers com dielétrico feito em PP feitos pela DAU


É válido lembrar que estes sistemas de identificação não são padronizados, portanto trimmers que não se encaixam nestas tabelas podem usar outro padrão.


Se você ficou curioso para saber mais sobre polímeros após ver os trimmers de PP e PTFE, basta CLICAR AQUI e ser redirecionado para um grandioso artigo sobre Fibras, Resinas, Plásticos e Borrachas!

Se quiser saber mais sobre capacitores de filme plástico metalizados e não metalizados, então CLIQUE AQUI!


Garimpando informações sobre os capacitores variáveis na internet, me deparei com o projeto de um capacitor variável "artesanal" utilizando um parafuso, uma bobina e mais algumas peças. Veja só:

Capacitor variável caseiro

Imagem 5 - Capacitor variável artesanal


As peças necessárias são mostradas abaixo:

-> Duas porcas e parafuso de máquina; -> Uma Placa de circuito (de preferência 1/2 “X 1/2”); -> Pedaço de fio 22 AWG esmaltado; -> Um pequeno pedaço de plástico.

Como é algo simples e artesanal, podem haver desgastes repentinos dependendo do uso. Este é um projeto voltado mais para o estudo do componente.

-> CLICANDO AQUI abrirá um PDF com um projeto de capacitor variável um pouco mais complexo, mas bastante interessante!

Capacitores variáveis podem ter seus valores de tensão e capacitância impressos na carcaça. Trimmers dificilmente vem com marcações devido a falta de espaço (os trimmers de PP e PTFE da DAU e os de cerâmica da MuRata mostrados neste artigo são exceções). De qualquer forma, é melhor ter o esquema elétrico do equipamento em mãos!

Gostou do artigo? Notou falta de algum detalhe? Mande suas palavras para o e-mail hardwarecentrallr@gmail.com.

Não deixe de curtir e compartilhar com seus amigos!

FONTES e CRÉDITOS

Texto e imagens: Leonardo Ritter, Google imagens.

Fontes: Newton C. Braga; NovaEletrônica; Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina; site "Py2bbs"; curso de eletrônica básica feito pelo autor do artigo.

Ultima Atualização: 11 de Março de 2021.

1,077 visualizações