• Leonardo Ritter; Drano Rauteon

Cap. 1.5. Os componentes: Termistor

Atualizado: 5 de Dez de 2020


Imagem 1


Agora vamos para o termistor. Como o próprio nome já diz, este componente é um resistor térmico, que varia a resistência de acordo com a temperatura. Esta variação de resistência não acontece de forma linear, isto é, a resistência não é exatamente proporcional a temperatura.

Existem dois tipos de termistores: o PTC e o NTC. Lembre-se que, o PTC tem coeficiente de temperatura positivo, enquanto o NTC tem coeficiente de temperatura negativo, portanto, o termistor PTC ao aumentar a temperatura, aumenta a resistência e o NTC ao aumentar a temperatura, a resistência do componente diminui. Veja baixo a curva característica dos dois componentes:

Gráfico 1


O gráfico acima é só para ter uma ideia de como o componente se comporta. Dependendo do fabricante e do material utilizado no termistor, esta curva pode ter uma pequena variação.

Não há um padrão de nomenclatura para estes componentes, cada fabricante utiliza seu próprio sistema de nomenclatura. Alguns termistores podem vir com nada escrito em seu corpo dificultando ainda mais a identificação do componente. Assim como o resistor, o potenciômetro e o varistor, unidade utilizada para estes componentes também é o Ohm, portanto ao comprar um você deverá saber o valor de resistência necessário no circuito.

Todos os termistores são feito com materiais semicondutores. Os NTC mais comuns são feitos de óxido de ferro com óxido de titânio. já os PTC são feitos de óxido de lítio mais óxido de cobalto ou uma cadeia policristalina de cerâmica com titanato de Bário. Também há os poliméricos que são feitos de uma camada de plástico com grãos de carbono. Quando o plástico é aquecido ele se expande, fazendo com que os grãos de carbono fiquem mais longe um do outro, consequentemente diminuindo a condutância e aumentando a resistência.

Da mesma forma que no material utilizado no varistor, quando aplicada uma força maior do que a que mantém os elétrons na órbita dos átomos, eles sobem até a camada de condução(camada de valência) e passa-se a ter uma corrente elétrica. Essa força no caso do varistor é sobrecarga de tensão, já no termistor NTC é aumento de temperatura. Nos PTC, o material que os compõe suporta um aumento na resistência com o aumento de temperatura, mas após ultrapassar um limite, a rigidez dielétrica é zerada e sua resistência cai, fazendo dele um condutor de energia.

Os termistores PTC possuem um ponto de transição e somente a partir deste ponto sua resistência irá aumentar.

Imagem 2


O termistor é composto por dois eletrodos metálicos, que possuem uma determinada dimensão(T) para formar um campo elétrico. Cada eletrodo está ligado a um pino do componente. Entre os dois eletrodos está os grãos do material que possa ser utilizado na fabricação deste componente. É importante dizer que, a distância entre os eletrodos, a quantidade de material aplicada entre eles influência na capacitância, na potência, na resistência, na temperatura de operação, enfim, em todas as características do componente. O invólucro é o acabamento, o revestimento do componente. Esse revestimento pode ser de teflon ou de outro material isolante.

As temperaturas de operação podem variar de -50ºC a +150°C nos modelos mais utilizados. Há termistores que podem trabalhar com temperaturas ainda menores que -50°C ou maiores que 150°C, fazendo com que a curva característica deles fique ainda menos linear.

Um termistor pode ser aplicado num circuito de liga e desliga, por exemplo. Ao aumentar a temperatura, a resistência do termistor NTC cai, fazendo com que ele ative um sirene, ou um ventilador para refrigeração.

Os termistores NTC também são utilizados para medir a temperatura do líquido de arrefecimento de um motor a combustão! É graças a um termistor que o eletroventilador do radiador é acionado apenas nos momentos certos e na velocidade certa. Quando o motor ainda está na fase fria, o sinal do termistor serve para a central eletrônica alterar a injeção de combustível, deixando a mistura mais 'rica', colaborando para que o motor atinja sua temperatura normal de funcionamento mais rapidamente.

Veja abaixo a imagem de um sensor NTC de arrefecimento:

Imagem 3 - Este é um sensor com conector de 3 pinos. Um é o negativo (ligado a massa), o outro é o positivo ligado ao calculador de injeção e o terceiro é para o sinal direcionado ao manômetro do painel.


CURIOSIDADE: Quem identifica se a mistura A/C está 'rica' ou 'pobre' é o 'nariz' do motor, mais conhecido como sonda lambda, que fica localizada no coletor de escape. Para saber como funciona a Sonda Lambda, CLIQUE AQUI!


O sinal do termistor NTC também é utilizado para informar a temperatura do motor no manômetro do painel de instrumentos. Muitos dos veículos mais novos não possuem uma manômetro, apenas uma luz espia que se acende apenas quando o motor já está prestes a ferrar seu bolso.


Os termistores NTC também são utilizados em coletores de admissão de motores de combustão interna para medir a temperatura do Oxigênio que será misturado com o combustível.

Quanto mais quente estiver o Oxigênio, mais agitados e dispersos estão os átomos, tornando a massa de ar menos densa por unidade de volume, fazendo com que a central eletrônica altere os parâmetros de injeção para compensar esta deficiência na alimentação de ar do motor. Veja a imagem de um sensor de temperatura NTC montado em um coletor:

Imagem 4 - O sensor de temperatura de Oxigênio é ligado ou após o TBI ou diretamente em um dos tubos de entrada de ar dos cilindros. No caso do exemplo acima, o sensor está colocado no tubo do cilindro 3 (em carros franceses a contagem dos cilindros é feita da esquerda para direita, da embreagem para a distribuição).


O termistor PTC pode ser aplicado num circuito para proteger outras peças. Conforme aumenta a temperatura a resistência aumenta reduzindo assim a corrente de alimentação das peças e consequentemente reduzindo a temperatura.


Termistores também pode ser utilizados para medir a temperatura de uma sala ou a temperatura de um líquido, só que sua implementação é difícil pois, como foi dito acima, sua resistência em relação a temperatura não é linear, dificultando assim a calibração do sistema de leitura.


Há uma fórmula para calcular a variação da resistência. Veja a fórmula abaixo:

Onde:

> R = Resistência;

> a = Coeficiente de temperatura, normalmente é 25º C;

> e = Constante de Euler (vale 2,71828182);

> b = Constante do material utilizado na construção do componente e que está presente no datasheet do mesmo;

> t = Temperatura do ambiente em graus Kelvin.

Esta fórmula é válida apenas para termistores NTC. A fórmula para os termistores PTC não será apresentada pois eles são pouco utilizados.

Para ver mais detalhes sobre termistores, abra o PDF abaixo:

Termistores NTC e PTC
.pdf
Download PDF • 487KB

O que achou do artigo? Ficou com alguma dúvida? Tem alguma sugestão ou reclamação? Comente ou mande um e-mail para hardwarecentrallr@gmail.com

Se gostou é só curtir e compartilhar!

FONTES e CRÉDITOS

Desenhos, gráficos e texto: Leonardo Ritter

Referências: Canal ElectroLab; Instituto Newton C. Braga; Terraço Econômico; MTE Thomson.

Última atualização: 04 de Dezembro de 2020.

299 visualizações

© 2020 Hardware Central Tecnologia Entretenimento e Comunicação do Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

Wix Editor / Revisão da web page: 3.1/2020 (16/07/20)